24 DE MAIO DE 2024
Fechar [x]

MILTON ALVES

12/04/2024 06:00

Ainda a eleição para vereador

Já que venho durante praticamente toda a semana tocando no assunto, resolvi trazer também para a coluna de hoje mais informações e opinião sobre a complicada eleição de vereador que teremos, em outubro deste ano, aqui em Tubarão. Num primeiro momento comentei sobre os fortes blocos partidários montados na atual legislatura por PSD, com seis vereadores; Progressistas, com cinco e PL, com três. Sobrou, de forma isolada, apenas Zé Luiz Tancredo, do MDB. Os blocos unidos, portanto, ficam com 14 dos 15 vereadores existentes na casa, e apesar disso não significar que vão fazer a maioria dos eleitos, é preciso admitir que já entram na disputa com um pé à frente. Pé à frente, grupo de assessores lapidados, experiência em campanha, cabos eleitorais atendidos nos últimos anos e outras vantagens mais. Detalhe é que nem todos serão candidatos à reeleição, mas os que ficarão contarão com essas vantagens. 

A vontade de renovar

O grande problema desses que já estão vereador - mas isso não é com todos - é o desgaste. A saturação do eleitor com alguns nomes. Quando a massa cisma de mudar, o eleitor fica cruel, e a maioria das razões que o fizeram votar no candidato quatro anos antes simplesmente desaparecem da sua consciência. E essa mudança é ainda pior, ou seja: ela é mais contundente e fica bem mais difícil convencê-lo do contrário, quando o eleitor justifica a mesma arguindo não um defeito do candidato no qual ele havia votado na eleição anterior, mas sim numa vontade de trazer para o cenário “políticos diferentes”. É ai que entram as chamadas “ondas”, que invadem as eleições transformando tudo.

Cenário perfeito  

A eleição de Tubarão pode passar por isso? Pode e lhes digo que acredito que vá acontecer, pois é uma onda que vem sendo alimentada há tempos na cabeça do eleitor. Essa pode se botar até na conta das redes sociais, pois elas tanto destroem reputações quanto criam estereótipos que se alimentam dos ensejos da população. Por isso penso que isso possa acontecer também por aqui, colocando alguns nomes no cenário.  

Os exagerados se perdem    

Não com todos que estão por aí desfilando suas ações, seja no anonimato ou fazendo estardalhaço na internet, mas a verdade é que alguns deles são bons mesmo, fazem um trabalho social maravilhoso, botam a cara a tapa nos debates e já contam com grupos de seguidores que agitam as redes sociais. Esses vão despontar. Se terão gás e força pra chegar entre os habilitados às cadeiras que seus partidos ou federação conquistarem, não sei, mas eles vão aparecer como um fato novo no pleito. Agora, os do estardalhaço vão ficar pela estrada mesmo.

Os treinados pelo serviço público
Agora, a eleição de vereador em Tubarão tem um outro personagem (que não é um fenômeno só daqui) que eu havia esquecido de citar nas colunas anteriores: o candidato que sai do serviço público, geralmente prefeituras e secretarias, na maioria dos casos de cargos comissionados, e com uma vasta folha de atendimento a parentes, amigos e público em geral. Nesta eleição em Tubarão teremos vários deles. Que talvez não sejam tão fortes assim, mas que trazem essa ajudinha nos seus currículos.

A renovação é iminente
Um detalhe que também devemos considerar é o índice de renovação na composição das bancadas, considerando a lista dos eleitos em 2020. Vai ser uma das maiores renovações da nossa história, e nem tudo por possíveis fracassos na urna, mas sim porque vários deles não vão concorrer à reeleição. Soratto foi o primeiro, ao virar deputado. Moisés Nunes, quando virou vice-prefeito, e Jairo Cascaes, prefeito. Além deles, outros dois: o médico Jean de Abreu Machado e o empresário Denis Matiola, mesmo que não integrem chapas majoritárias, já avisaram que não querem mais disputar a vereança. Quem também pode seguir o mesmo caminho é Zé Luiz Tancredo. Melhor para os outros.  

Diário do Sul
Demand Tecnologia

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a nossa Política de Privacidade. FECHAR