MENU

CANAL DS


 
 


Canil Municipal de Laguna deve ganhar sede própria


LAGUNA – O Canil Municipal de Laguna deve ser transferido para uma sede própria em mais alguns meses. A expectativa é que o espaço esteja pronto para receber os animais até abril do próximo ano. A situação do local, que atualmente abriga 33 animais, tornou-se polêmica tanto na Cidade Juliana quanto pelas redes sociais, em especial o Facebook. A ONG Solpra, que antes era a responsável pelo canil, alega que os animais não são bem cuidados e estão abaixo do peso, além de doentes. As denúncias levaram a uma determinação judicial que impede o canil de receber novos animais. As baias que antes eram de chão batido, receberam uma camada de brita e foram desinfetadas devido ao contágio de sarna sarcóptica. A doença atingiu 12 animais. “Conseguimos controlar esta sarna, os animais já estão melhores e os pelos estão crescendo. A Polícia Ambiental deve vir aqui na segunda (hoje) para avaliar a situação e acreditamos que ainda esta semana tenhamos a liberação para voltar a recolher os animais”, explica a veterinária Juliana de Medeiros. Segundo Juliana, o surto de sarna começou com uma cadela recolhida em setembro. “Ela estava com sarna e foi isolada para o tratamento. Depois de duas semanas, ela já não apresentava os sintomas e foi colocada junto com os demais animais. Porém, houve mudanças de tempo, dois dias bem quentes seguidos por chuva e o ácaro que provoca a sarna voltou a se proliferar e atacou os animais que estavam juntos. Nós começamos o tratamento e agora os animais estão melhores”, garante a veterinária. O atual canil foi assumido pela prefeitura em abril. O espaço é o mesmo que a Solpra utilizava antes, mas ficou fechado durante vários meses, após o rompimento do convênio entre o município e a ONG. Desde abril, foram recolhidos 202 animais das ruas. “Este abrigo é provisório. O terreno é alugado e a estrutura é o suficiente para termos até 100 animais. Temos um projeto para um abrigo definitivo. Também será na Barbacena, em um terreno que a prefeitura comprou. Acreditamos que até abril estará pronto. Haverá, além das baias, local para realizar consultas e fazer as cirurgias de castração e outras que forem necessárias, além de escritório para administração e espaço para guardar os materiais necessário”, afirma Juliana. No local atual, os animais ficam apenas abrigados, recebem alimentação, água e, se necessário, a medicação. As consultas e as castrações são feitas em um consultório anexo à Policlínica da secretaria de Saúde. Alimentação – Para alimentar os 33 animais que estão no abrigo, são consumidos por mês 30 sacos de 25kg de ração. Devido às dificuldades dos animais em aceitar a ração, alguns também estão recebendo arroz para cachorro. “Estes cães estavam nas ruas e recebiam comida normal e eles se acostumam a isso. Quando vem para cá, nós damos ração e, nos primeiros dias, muitos não querem comer e perdem peso. Mas a ração é que tem todos os nutrientes que eles precisam. Para ajudar nesta adaptação, temos misturado arroz para cachorro e, aos poucos, retiramos e deixamos só a ração”, esclarece Juliana.







 




Paginação: [ 1 ] 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26







MAIS LIDAS










Avenida Marcolino Martins Cabral, 1315, 6º piso Praça Shopping
Centro - Tubarão/SC - CEP 88701-105 - 48. 3631-5000
Todos os direitos reservados - JORNAL DIÁRIO DO SUL