MENU

NOTÍCIAS


TODAS | EDIÇÃO DE HOJE | DA REDAÇÃO | DIVERSÃO | ESPORTES | GERAL | POLÍTICA | SEGURANÇA

03/05/2019, 06:00

Faltas e produtividade chamam atenção


 
redacao@diariodosul.com.br
Dê a sua opinião
Comentários ou sugestões
Envie esta
notícia por e-mail
 

Nos primeiros três meses deste ano, 32 dos 40 deputados eleitos da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) faltaram pelo menos a uma sessão.

A maioria afirma que não compareceu por causa de atividades parlamentares externas. Dos 40, seis parlamentares também não apresentaram projetos nesse período.

Uma reportagem da NSC TV trouxe à tona o assunto na última quarta-feira, Dia do Trabalhador. Foram 34 sessões nos primeiros três meses de serviço da Alesc em 2019. Somadas as ausências, durante 119 vezes as cadeiras ficaram vazias. Atividades parlamentares externas foram o motivo alegado em 78% das vezes, seguido pelos compromissos particulares, por 16%. Problemas de saúde foram citados 6% das vezes como justificativa.

Na lista das faltas, o deputado Kennedy Nunes (PSD) está no topo. Ele não foi a mais da metade das sessões. Empatados, em segundo lugar, estão os deputados Milton Hobus (PSD), Ivan Naatz (PV) e Felipe Estevão (PSL), de Laguna. Os três perderam oito sessões.

A reportagem também mostrou que seis deputados não apresentaram nenhum projeto de lei em três meses de trabalho. Mesmo assim, a média nesse período foi de três projetos por parlamentar. Entre eles estão Felipe Estevão e Volnei Weber (MDB), ex-prefeito de São Ludgero.

 

Deputados da região se manifestam

A semana dos deputados tem dias dedicados para atividades externas. As sessões no Plenário são concentradas às terças e quartas à tarde e às quintas pela manhã. Isso, para que outros compromissos fora da Alesc sejam agendados. Durante a reportagem, o deputado Felipe Estevão explicou que, além da Alesc, atende à população em gabinetes regionais em Laguna, Criciúma e Araranguá, na Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense (Amesc). Estevão também comentou que, como no início do mandato as pautas da Assembleia eram consideradas, por ele, como secundárias, entendeu que o melhor era estar perto do povo e das demandas. Pelas redes sociais, o deputado ainda argumentou que a matéria tratou o assunto de forma tendenciosa.

Em nota, o deputado Volnei Weber explicou que “a régua que se mede a produção parlamentar não é a do número de projetos e nem a da frequência em Plenário”. Para ele, “legislar é uma das missões do parlamentar, mas nem assim a prioridade deve ser a apresentação de projetos. Muito mais importante é participar dos debates para aprimorar matérias importantes, como é o caso no momento da reforma administrativa encaminhada pelo governo à Assembleia, da qual sou um dos relatores, no âmbito da Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público. (...) Já temos muitas leis ineficazes. Quando apresentar projetos, pretendo que tenham qualidade e importem para a vida dos catarinenses”, disse Volnei, que também ressaltou ser um representante da população e, por isso, circula na região que ele representa, além de fiscalizar os atos do governo.



Veja tudo sobre: alesc
 


OUTRAS NOTÍCIAS



ESPORTES

Ciclista tubaronense participará de prova internacional

03/05/2019, 06:00

SEGURANÇA

Atropelamento mata homem na BR-101

03/05/2019, 06:00

GERAL

Clínica oferece teste rápido de hepatite

03/05/2019, 06:00

GERAL

Recurso de R$ 30 milhões irá acelerar crescimento de TB

03/05/2019, 06:00







MAIS LIDAS










Avenida Marcolino Martins Cabral, 1315, 6º piso Praça Shopping
Centro - Tubarão/SC - CEP 88701-105 - 48. 3631-5000
Todos os direitos reservados - JORNAL DIÁRIO DO SUL