MENU

NOTÍCIAS


TODAS | EDIÇÃO DE HOJE | DA REDAÇÃO | DIVERSÃO | ESPORTES | GERAL | POLÍTICA | SEGURANÇA

09/04/2019, 06:00

Morte de macacos na região está em análise


Micheline Zim 
redacao@diariodosul.com.br
Dê a sua opinião
Comentários ou sugestões
Envie esta
notícia por e-mail
 


Três macacos foram encontrados mortos na região nas últimas duas semanas, e já estão sendo analisados para descartar ou não a febre amarela como causa paralela.

Eles foram encontrados na localidade de Jabuticabeira (divisa entre Tubarão e Jaguaruna), Rio Fortuna e Santa Rosa de Lima, respectivamente.

A bióloga da Regional de Saúde em Tubarão Sabrina Fernandes Cardoso disse que no mesmo dia em que foram encontrados já foi feita a necropsia e já estão em análise, conforme preconiza o Ministério da Saúde. Em fevereiro, um macaco já havia sido encontrado morto em São Martinho, mas os exames laboratoriais foram negativos para a febre amarela, e a causa morte foi atropelamento.

Desta vez, segundo Sabrina, o primata encontrado morto em Jaguaruna teve como primeira causa de morte apurada um ataque de cães. Já na semana passada, na quinta-feira, um outro macaco foi encontrado morto na rodovia estadual em Rio Fortuna, tendo como primeira causa apurada uma pneumonia causada por vermes, e o terceiro animal, encontrado no dia seguinte, desta vez em Santa Rosa de Lima, também teve como primeira causa de morte apurada um atropelamento.

Porém, a bióloga explica que todas as análises estão sendo feitas, inclusive em parceria com o Hospital Veterinário da Unisul, para apurar todas as possíveis causas. “Sabemos que os macacos são animais ágeis, portanto o fato de serem atacados por cães ou atropelados pode ser um indicativo de fragilidade, que pode ser causada, sim, pela febre amarela”, pontua.

Um outro macaco também foi encontrado morto fora da Amurel, em Morro da Fumaça, e a causa também está sendo apurada.

Ações imediatas são tomadas
A bióloga Sabrina Fernandes Cardoso explica que, quando um macaco é encontrado morto, tendo em vista os riscos de febre amarela e pelo fato destes animais serem as maiores vítimas da doença em sua forma silvestre, é realizada uma série de ações imediatas. “Fazemos o que chamamos de bloqueio vacinal. Vamos em todas as residências da região onde o animal foi encontrado, e vacinamos os moradores que, por acaso, ainda não tomaram a dose da vacina. Além disso, enviamos o animal para análise no mesmo dia. É extremamente necessária esta precaução, pois a febre amarela já chegou a Santa Catarina, com uma morte humana e uma de um macaco confirmadas pela doença no Norte do Estado”.

Cobertura vacinal é necessária
Para prevenir que a febre amarela chegue à região, ações estão sendo intensificadas para que a maioria da população seja vacinada. Mas, de acordo com a coordenadora de imunização da Regional de Saúde na Amurel, Shaiane Salvador, mesmo estando dentro do esperado, é necessário atingir ainda grande parte da população.

De 20 de março – quando começou efetivamente a campanha – até ontem haviam sido vacinadas, na Amurel, 34.022 pessoas. Em Tubarão, foram 8.990 doses aplicadas nesses dias.

De janeiro até agora, segundo Shaiane, foram imunizadas cerca de 35 mil pessoas na Cidade Azul, mas ainda é preciso vacinar mais 40 mil para que a meta seja atingida. Em toda a região, a meta é vacinar 191.767 pessoas.

“Queremos conseguir atingir este número em, no máximo, três meses, mas precisamos da conscientização das pessoas para tomar a vacina, que está disponível em todas as unidades de saúde dos municípios”, afirma a coordenadora de imunização.



Veja tudo sobre: morte, macaco, febre amarela
 


OUTRAS NOTÍCIAS



ESPORTES

Tubarão recebe campeonato de handebol

09/04/2019, 06:00

ESPORTES

Tubaronense é vice-campeã em competição internacional de caratê

09/04/2019, 06:00

SEGURANÇA

Bombeiros são homenageados

09/04/2019, 06:00

DIVERSÃO

“Toy Story 4” é a estreia nas telonas

09/04/2019, 06:00







MAIS LIDAS










Avenida Marcolino Martins Cabral, 1315, 6º piso Praça Shopping
Centro - Tubarão/SC - CEP 88701-105 - 48. 3631-5000
Todos os direitos reservados - JORNAL DIÁRIO DO SUL