MENU

NOTÍCIAS


TODAS | EDIÇÃO DE HOJE | DA REDAÇÃO | DIVERSÃO | ESPORTES | GERAL | POLÍTICA | SEGURANÇA

28/03/2019, 06:00

Amigo de Henzel há anos, professor da Unisul almoçou com narrador no domingo


Guilherme Simon 
redacao@diariodosul.com.br
Dê a sua opinião
Comentários ou sugestões
Envie esta
notícia por e-mail
 


A morte prematura do jornalista Rafael Henzel, um dos seis sobreviventes da tragédia com o avião da Chapecoense, causou comoção entre colegas e admiradores do profissional. Para o professor da Unisul José Acco Júnior, o impacto foi ainda maior. Henzel e ele eram amigos há mais de duas décadas. No último domingo, os dois almoçaram juntos em Tubarão.

“A gente tinha uma relação muito próxima, desde os tempos em que morei em Chapecó, nos anos 90. Nos conhecemos quando éramos jovens atletas de futsal, acompanhei o início dele na rádio, como sonoplasta, e, em seguida, como jornalista esportivo. Depois, vim pra Tubarão, mas continuamos  sempre em contato”, conta Acco. 

O professor de Educação Física, que também já foi presidente da Fundação de Cultura e Esportes da cidade, recebeu Rafael Henzel em sua casa no último domingo. “Ele veio a Tubarão para narrar o jogo da Chapecoense com o Hercílio Luz, e combinamos de nos encontrar. Conversamos muito, ele falou sobre a viagem que tinha acabado de fazer junto com a família. Estava feliz, tinha realizado um sonho ao levar o filho para conhecer a Europa”.

Depois do almoço, Henzel seguiu para o estádio Aníbal Costa, onde narrou a vitória da Chape sobre o Leão, de virada, para a Rádio Oeste. Foi a última transmissão dele. “Também fui ao jogo, e no final da partida subi até a cabine para me despedir. Ele acabou me chamando para uma entrevista ao vivo, na qual agradeceu pelo churrasco com a minha família, e disse que iria retribuir quando eu fosse a Chapecó”, relata Acco.

Na noite de terça-feira, o professor foi informado pelo celular sobre a morte do narrador. “É um sentimento de perda muito grande. Ele sempre passou essa imagem de força, do gosto pela vida, era alguém que só falava sobre coisas boas, que tinha sempre palavras positivas. Essa vai ser a maior recordação que vai ficar pra mim”, declarou.

CORPO DE NARRADOR FOI ENTERRADO ONTEM À TARDE
Rafael Henzel morreu na noite de terça-feira, após sofrer um infarto enquanto jogava futebol com os amigos, em Chapecó, aos 45 anos. Ontem, o dia foi de luto e homenagens na cidade. Os outros três brasileiros sobreviventes da tragédia que matou 71 pessoas, em 2016, Alan Ruschel, Jakson Follmann e Neto, estavam no velório. O trio não segurou as lágrimas. O corpo do jornalista foi enterrado no fim da tarde, após um cortejo no caminhão dos bombeiros. Ele deixa a esposa, Jussara, e o filho, Otávio, de 14 anos.



Veja tudo sobre: morte jornalista rafael henzel, amizade, chapecoense,
 


OUTRAS NOTÍCIAS



GERAL

Ligações clandestinas serão investigadas

28/03/2019, 06:00

GERAL

Mudanças na Área Azul de Tubarão iniciam hoje

28/03/2019, 06:00

ESPORTES

Tubarão Sub-20 perde para o Joinville jogando em casa

28/03/2019, 06:00

DIVERSÃO

Imbitubense em busca do título de musa

28/03/2019, 06:00







MAIS LIDAS










Avenida Marcolino Martins Cabral, 1315, 6º piso Praça Shopping
Centro - Tubarão/SC - CEP 88701-105 - 48. 3631-5000
Todos os direitos reservados - JORNAL DIÁRIO DO SUL