MENU

NOTÍCIAS


TODAS | EDIÇÃO DE HOJE | DA REDAÇÃO | DIVERSÃO | ESPORTES | GERAL | POLÍTICA | SEGURANÇA

04/01/2019, 06:00

Laguna: prédio recebe multa de R$ 700 mil


 
redacao@diariodosul.com.br
Dê a sua opinião
Comentários ou sugestões
Envie esta
notícia por e-mail
 


Pelo menos duas saídas de esgoto, de um prédio e uma casa de Laguna, foram lacradas ontem na força-tarefa realizada no município. Em um dos casos, o imóvel foi multado em R$ 700 mil por conta de uma ligação clandestina. O esgoto do prédio caía diretamente na rede pluvial.

A operação Lacre Ambiental, encabeçada pela Flama (Fundação Lagunense do Meio Ambiente), com o apoio da vigilância sanitária, Casan, prefeitura e guarda municipal, começou ontem cedo. E, segundo a presidente da Flama, Deise Daiana Xavier Cardoso, não tem data para terminar.

“É um trabalho minucioso. A Casan tem ideia de onde estão essas ligações clandestinas, mas em muitos casos a comprovação só acontece quando abrimos a rua para verificar a situação”, explica Deise.

Até agora, duas ligações irregulares foram lacradas. Uma em um edifício, e outra em uma casa. Nos dois casos, a rede de esgoto estava ligada à rede de coleta da água da chuva. “No caso do prédio, a Flama aplicou a multa de R$ 700 mil. Eles também foram multados pela vigilância sanitária do município, além de serem notificados por não ter o ‘habite-se’”, conta Deise. O ‘habite-se’ comprova que as exigências da prefeitura foram cumpridas no caso de construções, obras ou reformas. O prédio pode recorrer das multas.

A operação Lacre Ambiental teve início após as contestantes reclamações sobre o mau cheiro gerado pelo esgoto a céu aberto, que também toma algumas ruas e parte da orla do Mar Grosso – espaço preferido dos turistas durante a alta temporada aqui na região.

O problema teria sido causado pelo entupimento do emissário submarino de Laguna. Segundo a Casan, a situação já foi resolvida.

 

EMISSÁRIO PROBLEMÁTICO COM OS DIAS CONTADOS

Segundo o chefe da agência da Casan de Laguna, Giovani Pickler, o problema causado no emissário foi uma grande quantidade de areia que entupiu a saída do esgoto em alto mar. “Contratamos, em caráter de urgência, uma empresa, que trabalhou ali por cerca de 20 dias com mergulhadores, para encontrar o local onde estava entupido”, diz Giovani.

A situação foi resolvida na última quarta-feira e, de acordo com o chefe da Casan, o emissário deve funcionar somente até o começo do segundo semestre deste ano. “Uma nova rede será criada. Ela vai sair de onde está o atual emissário, e seguirá para uma estação de tratamento de esgoto que será construída na Vila Vitória. As obras estão previstas para começar ainda neste mês de janeiro”.

Em entrevista a uma rádio de Laguna ontem, o prefeito Mauro Candemil explicou que as ligações clandestinas no município não são novidade, mas que os problemas causados pela irregularidade se agravaram nos últimos dias. Ele citou que já existe uma rede de esgoto na região do Mar Grosso para que os imóveis façam a ligação correta, mas muitos optam por conectar o esgoto com a rede pluvial porque esta está mais próxima das residências. Mauro ainda enfatizou que a prefeitura vai continuar atuando na fiscalização, e disse que um estudo da Casan teria identificado mais de 100 imóveis com possibilidade de ligações clandestinas em Laguna.



Veja tudo sobre: operação lacre ambiental
 


OUTRAS NOTÍCIAS



ESPORTES

Nadadora da ATN é prata no Brasileiro Escolar, disputado no RJ

04/01/2019, 06:00

GERAL

Convênio com Espanha é assinado

04/01/2019, 06:00

ESPORTES

Mancini recusa proposta da Chapecoense

04/01/2019, 06:00

SEGURANÇA

PM implanta rede de proteção às mulheres

04/01/2019, 06:00







MAIS LIDAS










Avenida Marcolino Martins Cabral, 1315, 6º piso Praça Shopping
Centro - Tubarão/SC - CEP 88701-105 - 48. 3631-5000
Todos os direitos reservados - JORNAL DIÁRIO DO SUL