MENU

NOTÍCIAS


TODAS | EDIÇÃO DE HOJE | DA REDAÇÃO | DIVERSÃO | ESPORTES | GERAL | POLÍTICA | SEGURANÇA

09/10/2018, 06:00

Novos tempos


 
redacao@diariodosul.com.br
Dê a sua opinião
Comentários ou sugestões
Envie esta
notícia por e-mail
 

O resultado das eleições de domingo confirmam o descrédito da classe política em atuação no país e a necessidade de mudanças. O que se viu obriga os partidos a buscarem novos nomes, a renovarem no discurso e na prática. O eleitor mostrou que não quer os mesmos candidatos de sempre e está cansado de promessas dos mesmos grupos de representantes de partidos que nunca são cumpridas. O político tradicional perdeu a vez. E isso não ocorreu apenas na escolha para presidente, mas também ao Senado, Câmara dos Deputados e governadores. É algo que também deve refletir nas próximas eleições municipais, e que precisará ser muito bem analisado pelos partidos no momento da escolha de seus representantes.

 

Alesc
Na Assembleia Legislativa do Estado, a eleição trouxe uma renovação de 55% no Parlamento: são 22 deputados eleitos que se juntarão aos 18 que foram reeleitos. É a maior mudança desde 2002.  Os dois candidatos eleitos na região fazem parte desta renovação. Felipe Estevão (PSL) e Volnei Weber (MDB) estarão na Alesc pela primeira vez.

Câmara
A Câmara dos Deputados será composta por 513 deputados federais, de 30 partidos diferentes. Atualmente, são 25. Menos da metade dos deputados conseguiu se reeleger, ou seja, 240 dos 513. O MDB foi o que mais perdeu cadeiras: caiu de 66 eleitos em 2014 para 34 eleitos em 2018.

Senado
A cada quatro senadores que tentaram a reeleição em 2018, três não conseguiram. Essa estatística marca a eleição mais surpreendente da história recente do Senado Federal. No total, das 54 vagas em disputa neste ano, 46 serão ocupadas por novos nomes — renovação de mais de 85%. Apesar disso, 20 são, de fato, rostos novos no Legislativo Federal. Os demais já haviam passado pela Casa em legislaturas anteriores à atual.

Representantes
No Senado, a região também ficou representada. Esperidião Amin (PP) tem como seu suplente o tubaronense Geraldo Athoff (PSD). Somente na Cidade Azul foram 17.269 votos. Já Jorginho Mello (PR) tem como segundo suplente o ex-prefeito de Imbituba Beto Martins (PSDB). O senador eleito recebeu 13.104 votos em Tubarão e 11.473 em Imbituba. Votos que devem ser levados em consideração, além da expectativa dos próprios suplentes chegarem a assumir a cadeira em determinado momento.

Mais lida
O assunto do dia ontem continuou sendo a votação surpreendente do candidato ao Senado Lucas Esmeraldino. O tubaronense conquistou 1.161.662 votos, ultrapassando candidatos como o ex-
governador Raimundo Colombo (PSD) e o senador Paulo Bauer (PSDB), que buscava a reeleição. Para se ter uma ideia, a matéria sobre a votação de Lucas permaneceu durante todo o dia como a mais lida no site do DS.

Reconhecimento
O dia ontem foi de elogios à cobertura das eleições feita pelo Diário do Sul. Leitores fizeram questão de entrar em contato para comentar a forma como foram divulgados os resultados no jornal impresso. O DS foi o único jornal que, além de trazer os eleitos, também apresentou a quantidade de votos dos candidatos da região que não se elegeram, dividindo por cidades. Os dados possibilitaram uma melhor análise e comparação, mostrando até mesmo onde os candidatos não conseguiram atingir os eleitores. Ainda durante o domingo, a equipe DS também fez uma cobertura em tempo real do pleito, publicando notícias e vídeos.



 


OUTRAS NOTÍCIAS



GERAL

Ceasa assina ordem de serviço para obra

09/10/2018, 06:00

GERAL

Thaeme e Thiago gravam clipe com dupla da região

09/10/2018, 06:00

GERAL

CEI Leonor Brasil inaugura espaços

09/10/2018, 06:00

ESPORTES

Tubarão está na Série D

09/10/2018, 06:00







MAIS LIDAS










Avenida Marcolino Martins Cabral, 1315, 6º piso Praça Shopping
Centro - Tubarão/SC - CEP 88701-105 - 48. 3631-5000
Todos os direitos reservados - JORNAL DIÁRIO DO SUL