MENU

NOTÍCIAS


TODAS | EDIÇÃO DE HOJE | DA REDAÇÃO | DIVERSÃO | ESPORTES | GERAL | POLÍTICA | SEGURANÇA

03/10/2017, 06:00

Estado decreta luto pela morte de tubaronense


 
redacao@diariodosul.com.br
Dê a sua opinião
Comentários ou sugestões
Envie esta
notícia por e-mail
 


Créditos: Jair Quint/DS

Desde o final da tarde de ontem, o corpo do reitor da UFSC, o tubaronense Luiz Carlos Cancellier de Olivo, 59 anos, que morreu ontem na capital, está sendo velado no hall da reitoria.

O caixão levando o corpo do reitor chegou à UFSC no final da tarde, onde centenas de pessoas aguardavam, e foi recebido com aplausos. O velório segue até hoje às 10h. Ainda, segundo informações da universidade, às 11h ocorrerá uma Sessão Solene Fúnebre do Conselho Universitário, que será aberta no auditório Garapuvu, do Centro de Cultura e Eventos da UFSC. Às 16h ocorrerá uma cerimônia ecumênica e, após, o sepultamento, no Cemitério Jardim da Paz, em Florianópolis.

O reitor afastado da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), professor Luiz Carlos Cancellier de Olivo, natural de Tubarão, morreu na manhã de ontem, em Florianópolis. Segundo a Polícia Militar, ele se atirou do último piso em direção ao vão central do Beiramar Shopping, por volta das 10h30. O delegado responsável pela Delegacia de Homicídios da capital, Ênio Matos, confirmou o suicídio.

O Beiramar Shopping enviou uma nota à imprensa confirmando o fato. “É com pesar que o Beiramar Shopping confirma a ocorrência de um suicídio na manhã desta segunda-feira. Segundo boletim divulgado pela Polícia Militar, confirma-se a identidade da vítima, sendo o reitor da UFSC, Luiz Carlos Cancellier”, diz a nota.

A 1ª Delegacia de Polícia da capital abriu inquérito para investigar a morte do reitor. O delegado responsável pelo caso, Eduardo Mattos, vai pedir imagens de câmeras de segurança do local.
Cancellier teria entrado no Beiramar com o próprio carro. Amigos e familiares, entre eles o irmão Júlio Cancellier, estiveram no shopping na manhã de ontem. A secretária de Justiça e Cidadania, Ada Faraco De Luca, e uma comitiva da UFSC também passaram pelo Beiramar.


Bilhete

Um bilhete foi encontrado junto ao corpo de Cancellier e entregue à polícia. Um dos irmãos de Luiz Carlos Cancellier de Olivo, Júlio, contou que soube de uma pessoa que teve acesso ao bilhete deixado no bolso do irmão, no qual ele dizia que “começou a morrer no dia que foi preso”. Apesar de não ter tido acesso ao papel, o irmão diz que mesmo que não seja exatamente o que está escrito no bilhete, de fato a frase “exprime o que ele sentia”.


Estado decreta luto oficial de três dias

A prefeitura de Tubarão decretou ontem luto oficial de três dias pela morte do tubaronense Luiz Carlos Cancellier de Olivo. “Além dos relevantes serviços prestados ao setor educacional, Luiz Carlos foi servidor municipal de 1983 a 1986, atuando como diretor do gabinete de imprensa”.

Em Florianópolis, a prefeitura também decretou luto oficial de três dias.

A UFSC divulgou uma nota de pesar pelo falecimento do reitor afastado, Luiz Carlos Cancellier de Olivo, e informou que as atividades foram paralisadas nas pró-reitorias e nas secretarias da administração central. As aulas também foram suspensas por três dias. Em sua fanpage, a UFSC mudou o fundo da sua logo para a cor preta e acrescentou #luto à sua imagem.

O governo do Estado também emitiu uma nota oficial lamentando a morte de Cancellier. “O governo do Estado lamenta o falecimento do reitor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Luiz Carlos Cancellier de Olivo, ocorrida na manhã desta segunda-feira, em Florianópolis, e manifesta solidariedade à família e aos amigos do reitor e a toda comunidade profissional da universidade catarinense”. Também foi decretado luto oficial de três dias em Santa Catarina.


Prisão causou impacto profundo

O irmão do reitor da UFSC, o tubaronense Júlio Cancellier, conversou com a imprensa no começo da tarde de ontem após a confirmação da morte do irmão. Ele contou que Luiz Carlos estava feliz e otimista com a universidade, realizado por poder ministrar palestras aqui e fora do país e que ser reitor era o sonho dele, mas o impacto da prisão pela Polícia Federal foi muito grande e “causou um trauma muito profundo”.

Júlio Cancellier ainda conta que o irmão estava se tratando com médicos. “Tinha problema cardíaco também, estava no processo de recuperação, mas psicologicamente muito abatido, afetado pela experiência da prisão que ele nunca tinha tido”, contou.

O reitor era solteiro, tinha dois irmãos e deixou um filho. Júlio conta que eles haviam combinado de sair nesta segunda-feira e que o reitor estava animado porque seu time, o Hercílio Luz, de Tubarão, havia subido para a primeira divisão no domingo. Pela manhã, quando o outro irmão mais velho foi até a casa do reitor, não o encontrou. Eles tentaram contato pelo celular, mas ele não atendeu.


Manifestações oficiais

Durante todo o dia de ontem foram divulgadas notas oficiais de pesar pelo falecimento de Luiz Carlos Cancellier de Olivo.

“A OAB SC manifesta publicamente seu profundo pesar pela morte do reitor da UFSC, Luiz Carlos Cancelier, ocorrida na manhã desta segunda-feira, em Florianópolis, em circunstâncias trágicas. Aos familiares e amigos do prof. Cancelier, nossas sinceras condolências”.

A Associação Catarinense de Imprensa (ACI) disse que o “acontecimento entristece a todos e deixa enlutados os colegas do homem que ao longo da vida deu inúmeras provas de companheirismo e apoio às causas da liberdade de expressão, do bom jornalismo e da educação”.  A Unisul e a Udesc também se manifestaram oficialmente.

O presidente da Câmara de Vereadores de Tubarão, Pepê Collaço, também se manifestou. “Em nome de todos os vereadores, externo votos de pesar à família e aos amigos do reitor da UFSC, Luiz Carlos Cancellier de Olivo, por seu falecimento, aos 59 anos. Tubaronense, Cau muito enalteceu o nome do município com sua trajetória de vida ligada ao jornalismo, ao direito e à política, e participou ativamente de importantes movimentos para o Brasil, como o da anistia, pelas Diretas Já e o Fora Collor”.


Redes sociais

Logo que as primeiras notícias da morte de Cancellier começaram a ser divulgadas na manhã de ontem, amigos, familiares e companheiros de trabalho começaram a se manifestar nas redes sociais. Indignação e revolta foram a tônica dos textos.


Investigação começou na Ouvidos Moucos

Cancellier havia sido preso temporariamente no dia 14 de setembro na Operação Ouvidos Moucos da Polícia Federal, que investiga o desvio de verba em bolsas de Educação à Distância do programa Universidade Aberta do Brasil. Ele e outros seis investigados ficaram presos por um dia. A suspeita era de que o reitor havia obstruído as investigações que haviam iniciado na corregedoria da universidade.

A Justiça Federal de Florianópolis chegou a autorizar o reitor, que estava afastado do cargo, a entrar na universidade para que ele pudesse orientar os seus alunos de mestrado e doutorado. A autorização de permanência na UFSC era de três horas.



Veja tudo sobre: reitor, ufsc, carlos cancellier
 


OUTRAS NOTÍCIAS



GERAL

Dia do Soldado: disciplina e valores do serviço militar

03/10/2017, 06:00

GERAL

Ivane Fretta: iluminação foi licitada pela Celesc

03/10/2017, 06:00

GERAL

Hospital de Laguna fica sem atendimento eletivo

03/10/2017, 06:00

SEGURANÇA

Vítima fica presa às ferragens em acidente no Morro do Formigão

03/10/2017, 06:00







MAIS LIDAS










Avenida Marcolino Martins Cabral, 1315, 6º piso Praça Shopping
Centro - Tubarão/SC - CEP 88701-105 - 48. 3631-5000
Todos os direitos reservados - JORNAL DIÁRIO DO SUL