MENU

NOTÍCIAS


TODAS | EDIÇÃO DE HOJE | DA REDAÇÃO | DIVERSÃO | ESPORTES | GERAL | POLÍTICA | SEGURANÇA

27/01/2016, 06:00

Recepção calorosa


 
redacao@diariodosul.com.br
Dê a sua opinião
Comentários ou sugestões
Envie esta
notícia por e-mail
 

Em plena alta temporada, o Dnit decidiu iniciar a recuperação asfáltica do trecho Sul da BR-101. Os trabalhos estão sendo realizados nos últimos dias desde Sangão até Jaguaruna. O resultado não poderia ser pior para os turistas, a não ser longas filas debaixo de um sol escaldante. Uma ótima forma de recepcionar os visitantes que chegam ao nosso Estado. Além deles, sofrem também os catarinenses da região Sul, principalmente Criciúma, que seguem para as praias da região.

Não planejou?
As obras de recuperação asfáltica em plena temporada de verão, quando o número de veículos que passam pela rodovia é bem maior, é mais uma prova da total falta de planejamento do Dnit. Não bastava ter deixado para trás a licitação da ponte Cavalcanti e os atrasos nas obras nas proximidades do túnel, conseguiram piorar ainda mais a vida de quem precisa viajar pela BR-101 Sul.

Antes ou depois
A recuperação teria que ter sido feita antes da temporada ou simplesmente ter sido deixada para depois. Talvez o Dnit tenha até uma explicação mais razoável. Pode ter sido proposital. Com a BR-101 parada na região de Jaguaruna, diminuem as filas no último gargalo da duplicação, em Tubarão. Para minimizar um gargalo, se cria outro. Só se for.

Sem fuga
Quem conhece Tubarão poderia evitar as filas na BR-101 ao sair de Jaguaruna. Bastava seguir pela ponte de Congonhas. Mas as prefeituras das duas cidades e o governo do Estado ainda não conseguiram concluí-la.

Sem manutenção
Além da discussão sobre quem deve pagar a conta da iluminação da ponte de Laguna, há outra situação que veio à tona com o aparecimento de postes queimados e a luz acessa durante o dia: não há manutenção. Enquanto é aguardada manifestação da Justiça, não se sabe quem deve fazer reparos na iluminação. O grande problema hoje é que primeiro se faz, depois se discute. E até se chegar a uma conclusão, não há responsáveis e manutenção. Enquanto isso, os estragos se acumulam, assim como a conta da própria luz. No fim, a conta que vai sobrar para alguém pagar será ainda maior.

Pagamento
Em atendimento à legislação em vigor, a Cooperativa de Eletricidade de Gravatal (Cergral) não mais receberá pagamento de faturas de energia e serviços na sede da cooperativa. Desta forma, a partir do mês de fevereiro o pagamento das faturas de energia somente poderá ser efetuado nas agências conveniadas, como o Banco do Brasil, Bradesco, Banrisul, Sicoob, Correios e casas lotéricas.

Obra polêmica
A matéria sobre os R$ 8 milhões que ainda faltam para a conclusão da Arena Multiuso de Tubarão, publicada ontem no DS, gerou diversos comentários. Entre eles o de Maurício Machado, enviado por e-mail. “Ninguém acha um absurdo um galpão custar R$ 20 milhões? O que daria para construir com este dinheiro todo, se a obra fosse particular e não pública? Um investimento alto e que não contempla as necessidades da cidade”, escreveu.

Precariedade
“Não sei onde vai tanto dinheiro nesta Arena. Enquanto isso nossas ruas, nos fundos, têm um valo enorme, com mosquitos e outros bichos, e ninguém faz nada. Sem falar na poeira”, chama a atenção Helia Helyon Vieira em mensagem deixada no Facebook do DS.



Veja tudo sobre: dnit, br-101, recuperação asfáltica, filas, ponte de congonhas, iluminação, ponte de laguna, arena multiuso
 


OUTRAS NOTÍCIAS



ESPORTES

Futsal viaja para enfrentar o Marreco

27/01/2016, 06:00

ESPORTES

Peixe de olho na vitória do Brusque

27/01/2016, 06:00

ESPORTES

Tubarão está na Série D

27/01/2016, 06:00

GERAL

Imóvel do Clube Cruzeiro será restaurado

27/01/2016, 06:00







MAIS LIDAS










Avenida Marcolino Martins Cabral, 1315, 6º piso Praça Shopping
Centro - Tubarão/SC - CEP 88701-105 - 48. 3631-5000
Todos os direitos reservados - JORNAL DIÁRIO DO SUL