11/04/2019, 06:00

Judoca de 17 anos disputa Brasileiro e inspira irmăos


No país do futebol, Rodrigo de Almeida da Rosa viu-se à beira de um embate quando tinha 13 anos: ficar nos campos ou seguir no futuro judoca. “Minhas notas começaram a cair no colégio, aí meu pai pediu para optar entre um dos esportes. Foi aí que balancei”, relata. Mas, quando o atleta colocou as duas opções na balança, não teve mais dúvidas de que, com o talento que tinha, o judô poderia abrir muitas portas.

 Três anos depois da decisão, não há arrependimento. Desde a escolha, o judoca é beneficiado com o Bolsa Atleta, programa da Fundação de Esportes, que o incentivou a permanecer
arduamente nos treinos diários. Enquanto os parceiros de treino migravam para outros rumos, Rodrigo permaneceu firme em busca dos objetivos.

“Um começou a namorar; outro, a trabalhar; outros saíram por motivos pessoais; e só eu que consegui deixar o serviço de lado para focar no judô. Estou muito feliz, e vivendo tudo o que queria”, revela.

 Hoje, com 17 anos, coleciona significativas vitórias na carreira, e está prestes a viver a experiência de ir para o Campeonato Brasileiro Região V. Dos quatro atletas convocados da Associação Tubaronense de Judô, o garoto é o mais novo. A competição ocorre neste fim de semana, de sexta-feira a domingo, em Brusque.

Vindo de uma família de oito irmãos, Rodrigo é o mais velho entre os homens, e desde cedo busca incentivar os pequenos a seguir o caminho judoca.

“É muito legal ver eles praticando. Falo sempre que quero vê-los não conquistar o que conquistei, mas, sim, ir ainda mais longe”, afirma. André e Thiago, gêmeos de 12 anos, Manuela, de 14, e Gustavo, de 15, dão continuidade dentro do tatame à motivação vinda do berço, integrando também a equipe de judô da Cidade Azul.

 

TÉCNICO CONVOCADO

Em Brusque, Rodrigo terá uma visão profissional familiar ao lado. Técnico da Associação Tubaronense de Judô há dez anos, Thiago Gomes Flores recebeu, ontem, a convocação para integrar a Seleção Catarinense no Campeonato Brasileiro Região V. O treinador obteve a oportunidade graças à aprovação na avaliação do Credenciamento Nacional de Técnicos (CNT).  “A meta sempre foi ser convocado, afinal traz uma experiência maior, já que é uma competição a nível nacional, realizada no Estado. É uma satisfação enorme”, comenta o treinador.



Veja tudo sobre: judô