27/12/2018, 06:00

Retrospectiva: os principais fatos de 2018


Onda conservadora vence eleições
Impulsionados pela forte campanha do presidente eleito, outros nomes do Partido Social Liberal (PSL) também se aproveitaram do chamado “tsunami Bolsonaro”. Em Santa Catarina, o partido elegeu seis deputados estaduais, entre eles Felipe Estevão, de Laguna. Para a Câmara dos Deputados, foram quatro entre os mais votados, incluindo Daniel Freitas, que tem uma forte ligação com Tubarão. O PSL também conquistou o lugar mais alto da política do Estado, tendo como governador eleito o comandante Carlos Moisés da Silva. A vitória de Moisés foi uma surpresa, principalmente para quem aparecia sempre na terceira posição nas pesquisas de intenção de voto divulgadas no período eleitoral. Ele venceu Gelson Merisio, do PSD, recebendo 71,09% dos votos válidos (2.644.179 votos).


Volnei Weber é eleito deputado

Em abril, o único prefeito da região reeleito nas últimas eleições municipais – com mais de 70% dos votos, e escolhido como presidente da Amurel, Volnei Weber (MDB), de São Ludgero, renunciou ao cargo para concorrer a uma vaga na Assembleia Legislativa nas eleições de outubro. Volnei foi eleito deputado estadual com 41.353 votos, e com isso a região volta a ter representatividade na Alesc.


Protestos contra Bolsonaro

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, conquistou 55,13% dos votos válidos. Até a divulgação do resultado, Bolsonaro enfrentou uma campanha bastante controversa. O discurso direto chamou a atenção de quem esteve a favor e também de quem esteve contra o então candidato. Em setembro, durante uma ação de campanha em Juiz de Fora, Minas Gerais, Bolsonaro levou uma facada. Ele precisou passar por duas cirurgias de emergência e precisará ser operado mais uma vez, para retirar a bolsa de colostomia, que usa desde o ataque. Sem poder ir às ruas, as redes sociais foram o grande trunfo da campanha do PSL. Os eleitores pró-Bolsonaro militaram on-line e na vida real. Quem não concordava com as ideias do candidato também se reuniu em protestos espalhados pelo país. O mais famoso deles, Mulheres Contra Bolsonaro, também juntou um grande público numa página do Facebook e nas ruas do país.


Aumento gera polêmica

Em novembro, uma votação na Câmara de Vereadores de Capivari de Baixo gerou polêmica no município. Com apenas dois votos contrários, a Casa aprovou, em primeira votação, o aumento do duodécimo (valor destinado pela prefeitura ao Legislativo), de 4,6% para 7%. A decisão da maioria vai na contramão do que vem ocorrendo em muitas Câmaras e também dos anseios da população, que quer redução de custos. O Tribunal de Justiça anulou as emendas, e o valor anterior se manteve. De acordo com um dos vereadores que votou contra o aumento, Herivelton Silva de Souza, o China (PP), o valor arrecadado, de 4,6% – que dá algo em torno de R$ 280 mil –, já é mais do que suficiente para a Casa se manter.


Vereadores voltam à Câmara

Em outubro, os vereadores de Capivari de Baixo Jean Correia Rodrigues e Edison Cardoso Duarte tiveram a liberdade provisória concedida e puderam retornar à Câmara, depois de aproximadamente 15 dias de afastamento por conta da prisão preventiva. Segundo o advogado de Jean, João Batista Fagundes, o retorno ocorreu normalmente, uma vez que eles não haviam sido impedidos de continuar os trabalhos no Legislativo. De acordo com a promotora do Ministério Público de Capivari de Baixo, Elizandra Sampaio Porto, a decretação da prisão preventiva foi necessária, anteriormente, para a conveniência da instrução criminal, de modo que não houvesse nenhuma nova investida contra nenhuma das outras testemunhas, sobretudo por se tratar de um processo com 88 testemunhas arroladas, cuja audiência de instrução restou dividida em sete solenidades, o que demonstraria a imprescindibilidade da prisão.


Os tão sonhados US$ 40 milhões

A Prefeitura de Tubarão deu um passo ousado para tentar angariar uma verba milionária para o município. O prefeito Joares Ponticelli e outros representantes da PMT foram até Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, em busca do Fundo Financeiro para o Desenvolvimento da Bacia do Prata (Fonplata). O objetivo é conseguir um financiamento no valor de US$ 40 milhões para executar dezenas de obras que prometem alavancar o crescimento do município. A consolidação desse financiamento ainda depende do cumprimento de uma série de exigências. Entre os projetos previstos no Fonplata estão a revitalização das ruas Visconde de Barnacena, Teodoto Tonon e São João, a pavimentação da rua Annes Gualberto e Tenente João Luiz Maus, a esperada conclusão do parque linear, a revitalização da antiga estação rodoviária, a construção da passarela de concreto em frente à Unisul e a colocação de taludes de contenção em dois pontos do Rio Tubarão. O prefeito preferiu não revelar todo o pacote de obras pretendido. Assim que aprovada toda a parte burocrática, o financiamento precisa ser aprovado pela Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal, para, finalmente, ser aprovado pela Câmara de Vereadores de Tubarão.


Prefeitura de Tubarão se torna proprietária do Paço Municipal

A prefeitura de Tubarão quitou, em abril deste ano, R$ 4.008.238,89, referentes aos dois últimos precatórios da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN). O pagamento assegura o direito de a prefeitura ser a proprietária da área onde está localizado o Paço Municipal. Além desses dois títulos com a CSN, a prefeitura liquidou mais R$ 2.635.811,82, referentes a precatórios da primeira pavimentação asfáltica da rua Sílvio Búrigo, ainda nos anos 80. Segundo a prefeitura, a atual gestão já pagou R$ 23 milhões dos R$ 38 milhões somente em precatórios desde 2017.


Ponte pênsil recuperada pós-vendaval

Destruída no vendaval de outubro de 2016, em janeiro deste ano a ponte pênsil em frente à Unisul, em Tubarão, contou com o início das obras de reforma. O custo total da reforma foi de  R$ 145.974,94, e ela foi executada pela empresa tubaronense Sanero Construções LTDA, vencedora do processo licitatório. A meta para a reabertura da ponte aos pedestres era o dia 19 de fevereiro, início do ano letivo, mas a ponte só conseguiu ser concluída em 16 de março, quando foi reaberta ao público. Na cabeceira da margem direita, onde foi mantida a estrutura de ferro que impede a passagem de bicicletas, a calçada da beira-rio ganhou alguns bancos de cimento e uma roçagem na vegetação, que  transformou o espaço em uma pequena praça.

Casa da Cidade, enfim, revitalizada
Quase três anos após o início, a obra de revitalização da Casa da Cidade, em Tubarão, finalmente foi concluída ao término de 2018. Fechado desde 2013, o espaço começou a ser reformado em janeiro de 2016. A reforma, na parte externa e interna, custou exatos R$ 455.403,02, dinheiro que veio de emenda parlamentar e também de recursos próprios do município. Depois de reaberta, a Casa Huberto Rohden, nome oficial do prédio, virou a Casa do Papai Noel. Agora, a prefeitura estuda alternativas para ocupar um dos pontos turísticos de Tubarão. Entre eles está o Espaço do Empreendedor, e até uma cafeteria no térreo.

Construção de Centro de Radioterapia
O Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) iniciou, em novembro, a construção de sua Unidade de Radioterapia – um dos grandes projetos da instituição para sanar os principais anseios da comunidade de Tubarão no tratamento oncológico. A Unidade de Radioterapia ficará localizada em um terreno em frente ao hospital, na esquina da rua Padre Bernardo Freuser com a rua Vidal Ramos. As obras da nova unidade devem durar cerca de um ano, e não irão impactar o atual atendimento do HNSC. O hospital foi incluído em 2012 na relação de hospitais que compõem o Plano de Expansão da Radioterapia em Santa Catarina. Desde então, o projeto de implantação passou por inúmeras readequações até chegar na atual proposta. Recentemente, representantes do Ministério da Saúde, membros da diretoria do HNSC e profissionais das empresas responsáveis pela execução e fiscalização das obras se reuniram na sede do hospital para finalizar essa proposta e planejar o início da construção.


Prefeitura abre nova licitação para passarela

Em novembro, a prefeitura de Tubarão lançou um novo edital de licitação para a contratação de empresa especializada na construção de uma passarela de concreto, para pedestres e ciclistas, que vai fazer a ligação entre as avenidas José Acácio Moreira e Marechal Deodoro. A obra está orçada em R$ 3.660.154,72. Segundo o texto do edital, a obra de concreto armado deverá ser executada dentro de um prazo de 300 dias. Em dezembro, foi feita a abertura dos envelopes, mas nenhuma empresa apresentou interesse. Por não haver nenhum questionamento sobre o texto do edital, a prefeitura entendeu que pode reabrir o mesmo processo de licitação. Agora, as empresas terão até o começo do próximo ano para se inteirarem a respeito do edital e apresentarem as propostas. A expectativa é de que alguma se interesse em realizar a obra, tão aguardada pela comunidade. No primeiro semestre deste ano, a prefeitura cancelou outro processo de licitação para a construção de uma passarela de concreto em frente à Unisul. Em janeiro, o município cancelou o projeto inicial alegando inviabilidades técnicas, que deixariam a obra inexequível e também acrescentariam muito no valor orçado.


Dificuldades na educação

Em junho, o governo de Santa Catarina decidiu que não abriria mais, neste ano, vagas de cursos técnicos divulgadas previamente para o segundo semestre nos Cedups. A comoção foi geral, e logo o governo precisou repensar a decisão. A secretaria de Educação optou por abrir vagas nos cursos que apresentavam maior demanda. Nos mês seguinte, outro assunto que envolveu os Cedups voltou a ser notícia. Uma denúncia feita pelo Sinte (Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina) de Tubarão apontou mais uma vez a demora na conclusão das obras dos centros educacionais de Tubarão e Rio Fortuna. Em março de 2017, o DS já havia levantado esta questão.


Obras de revitalização serão concluídas em 2019As obras de revitalização dos acessos em Tubarão iniciaram em janeiro. O acesso Sul foi o primeiro a receber os primeiros trabalhos, com a remoção do asfalto para a colocação da drenagem pluvial em um trecho da rua Sílvio Búrigo. A revitalização e a recuperação dos acessos fazem parte do programa Tubarão 180º e foram viabilizados por meio de convênio de R$ 20 milhões com o governo do Estado e mais uma contrapartida de R$ 2,2 milhões da prefeitura. A previsão da conclusão total para dezembro deste ano precisou sofrer algumas alterações por conta das chuvas que ocorreram – e ainda estão previstas para os próximos meses. A avenida Patrício Lima, obra bastante esperada, fica pronta em 2019. Também para 2019 ficam concluídas as obras da avenida Sílvio Búrigo, no bairro Monte Castelo, e Padre Dionísio da Cunha Laudt, no Dehon, assim como as transversais. Por último, será concluída a avenida Tancredo Neves. A conclusão está prevista para maio.


Obras do Mercado Público de Laguna devem reiniciar em 2019

Com ordem de serviço assinada desde 2014 e obras paralisadas desde 2015, a novela da reforma do Mercado Público de Laguna deve finalmente acabar em 2019. Depois de muita resistência por parte do BNDES para a liberação dos recursos – em virtude das investigações da Polícia Federal a respeito do processo para a construção do Memorial Tordesilhas e também um processo de licitação de outro investimento feito na Cidade Juliana –, um acordo foi firmado entre a prefeitura de Laguna e o banco. A assessoria jurídica do BNDES aprovou a proposta repassada pelo governo municipal. Dentre as condições exigidas está a devolução corrigida, de aproximadamente R$ 800 mil, fruto de pagamentos considerados indevidos pelo BNDES devido à falta comprovatória da execução financeira do contrato, apurada em processo de inquérito administrativo. Em dezembro, o boleto que a prefeitura precisava pagar ao Banco Nacional, de R$ 738.150,35, foi pago. Outro entrave era a assinatura do aditivo, que será arcado pelo município, e vai passar de R$ 1 milhão. A versão final do aditivo foi assinada pelo prefeito e reenviada ao BNDES, no Rio de Janeiro, para que seja feito o reinício da obra, que deve ser no início do próximo ano.


Obras importantes ficam para 2019
Com conclusão prevista para 18 de dezembro deste ano, a inauguração da rodovia Ivane Fretta Moreira ficou para junho de 2019. A previsão é do engenheiro Severino
Soares Silva, da Esse Engenharia e Consultoria, responsável pela supervisão da obra. “Até junho, vamos poder inaugurar a rodovia. Mas este prazo até pode ser antecipado, caso o tempo colabore”, disse durante a apresentação técnica da obra, no dia 14 de dezembro, na Acit. Segundo o engenheiro, a obra teve dois grandes desafios. O primeiro deles foi o próprio terreno, que possuía 47 metros de solo mole. Outro problema enfrentado no meio do caminho foram as chuvas. “A cada dia de chuva são três dias perdidos na obra”, explica. A rodovia Ivane Fretta iniciou a construção em 2015, e teve problemas de desapropriações, que não deixaram a execução avançar conforme estava previsto no cronograma. O investimento da obra é de mais de R$ 60 milhões.


Braço do Norte terá Ponte da União
Em 30 de abril, a autorização para a licitação da ponte de rodagem que liga o Centro de Braço do Norte ao bairro Lado da União foi assinada. Já o convênio foi assinado no dia 20 de junho, no gabinete do prefeito. Os recursos foram conseguidos por intermédio do deputado estadual Júlio Garcia junto ao governo do Estado. Durante a construção, a obra teve alguns entraves judiciais, por conta de ações de outra empresa questionando o processo licitatório. Em agosto, o juiz da 1ª Vara Cível da Comarca de Braço do Norte, Rodrigo Barreto, derrubou a liminar concedida por ele próprio, e, de quebra, no julgamento do mérito, denegou o mandado de segurança pleiteado pela Fraga Construções e Engenharia. Com a decisão do magistrado, o processo de construção da ponte que ligará o bairro Lado da União ao Centro de Braço do Norte pode ser retomado. A ponte está orçada em, aproximadamente, R$ 5 milhões, e será executada com recursos do governo do Estado. Ela terá 150 metros de extensão e 15 metros de largura, sendo 12 metros de pista de rodagem, com duas mãos, e será construída no local onde hoje está a ponte pênsil. A obra está na fase de finalização das estacas raiz, e, em breve, serão construídos os blocos de apoio dos pilares. A ponte vai ganhar o nome do empresário Celso Kindermann.


Aeroporto regional volta a ter voo matinal
Em agosto, a Azul voltou a operar voos matinais partindo de Jaguaruna com destino a Campinas, e com chegada à noite no Aeroporto Regional Humberto Ghizzo Bortoluzzi. As operações neste horário haviam sido alteradas, em setembro do ano passado, para o horário da tarde. A suspensão do voo da Azul Linhas Aéreas causou indignação entre os empresários, que, desde o anúncio da companhia, buscaram alternativas junto à empresa RDL, administradora do aeroporto. Após diversas reuniões e reivindicações feitas pelas entidades empresariais do Sul de Santa Catarina, o ex-secretário de Infraestrutura do Estado, Luiz Fernando Cardoso, o Vampiro, confirmou o retorno do voo. Entidades empresariais do Sul se mobilizam desde o início de abril para a troca de horário – para pouso noturno e decolagem pela manhã – pela empresa aérea Azul no Aeroporto Regional Humberto Ghizzo Bortoluzzi.


Uma segunda ponte para o desenvolvimento

Os moradores de São Ludgero acompanham de perto as obras de construção da segunda ponte, no Centro do município. A ordem de serviço foi entregue em julho de 2016. A execução é realizada através de uma parceria entre a administração municipal, via financiamento do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), e o governo do Estado. Esse último teria atrasado algumas parcelas, o que teria provocado o atraso nas atividades. Depois de mais de dois anos, a prefeitura informou que a ponte seria entregue em dezembro de 2018. Mas o deslocamento da placa de uma das pistas de rolamento fará com que a obra seja entregue em março de 2019. Tudo para que o trabalho, depois de tanto tempo, seja entregue com segurança.


Centro de Inovação longe do fim
Paralisadas há quase dois anos, as obras de conclusão do centro de inovação de Tubarão foram retomadas de maneira formal em abril, quando o prefeito, Joares Ponticelli, entregou a ordem de serviço para os representantes da empresa NGR Tecnologia Construtora e Incorporadora. No início de março, a etapa foi destravada com a liberação do aditivo de R$ 1,65 milhão pelo governador Eduardo Pinho Moreira. A expectativa do município era concluir o empreendimento no dia 18 de dezembro, mas a conclusão ficou para o primeiro trimestre do ano que vem, segundo expectativa do secretário de Desenvolvimento Econômico, Giovani Bernardo. Conforme o secretário, as obras seguem acontecendo, agora com mais intensidade na área interna. A obra do centro de inovação é feita com recursos do governo do Estado, que já estão garantidos, segundo Giovani, e com a execução por parte da prefeitura de Tubarão, que realizou a licitação e também doou o terreno.


Gasolina pesou no bolso do consumidor

Entre os principais gastos dos brasileiros, a gasolina foi um dos que mais pesou no bolso neste ano. Segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), apenas nos meses de março (R$ 3,98) e abril (R$ 3,99) o preço médio do combustível ficou abaixo dos R$ 4 em Tubarão. Desde 2017, a Petrobras adota um novo formato na política de ajuste de preços. Pela nova metodologia, os reajustes acontecem com maior periodicidade, inclusive diariamente. Ainda de acordo com a média de preços feita pela ANP, o valor mais caro pago pelos motoristas de Tubarão foi em outubro, quando a gasolina custava, em média, R$ 4,48. Em novembro e dezembro, os valores diminuíram gradativamente. Em alguns postos, era possível encontrar o combustível custando menos de R$ 3,80.


São Ludgero é exemplo no país
São Ludgero comemorou, no Dia Mundial da Água, em março, um título inédito no Brasil: o de ser o primeiro município a ter 100% do esgoto doméstico tratado nas áreas urbana e rural, segundo a Epagri. Outros municípios do país possuem o esgoto doméstico tratado na área urbana, mas apenas São Ludgero possui também nas áreas rurais. Tal conquista, segundo a prefeitura, aconteceu pelo fato de o município aderir ao Programa de Regularização Fundiária Lar Legal, do governo do Estado, que tem o objetivo de oportunizar escrituras públicas, e as redes de esgoto foram instaladas. Para atingir este índice, o município de São Ludgero teve como parceiros a Epagri, que ficou responsável pelo trabalho na área rural, e o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Samae), que atuou na área urbana.



Veja tudo sobre: retrospectiva 2018