14/11/2018, 06:00

Chuva ácida em Tubarão


A chuva ácida ocorre por conta da poluição e libera metais tóxicos prejudiciais à saúde.  A ingestão de água potável acidificada, por longos períodos, pode causar, entre diversas doenças, Parkinson, Alzheimer e hipertensão, além de problemas pulmonares. Chama a atenção que estudos realizados há alguns anos apresentam a ocorrência de chuva ácida em Tubarão, e pode ser que atualmente ela ainda esteja ocorrendo, ninguém sabe. E o que preocupa é que hoje não existe nenhum monitoramento ou análise da qualidade da chuva na região (leia mais nas páginas 4 e 5).

Qualidade do ar
Atualmente, de acordo com representantes do Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), órgão que substitui a Fundação de Meio Ambiente (Fatma) no Estado, existe apenas a aferição da qualidade do ar, feito pela própria Engie. A aferição da qualidade da chuva, que indicaria se ainda sofremos com chuva ácida ou não, não é realizada.

Curioso
Além de não ser feita a aferição da qualidade da água da chuva, o principal monitoramento da qualidade do ar na região é feito pela própria usina. Ou seja, além de não existir qualquer fiscalização por órgãos do governo com dados independentes, ocorre a autofiscalização. O governo do Estado precisa investir, assim como fez com o radar meteorológico, em equipamentos para acompanhar a qualidade do ar e da chuva, para garantir uma fiscalização isenta e, principalmente, a saúde da população.

Doação
Foram doados 350 litros de leite à Fundação Educacional Joana de Ângelis e à Sociedade Tubaronense de Amparo aos Necessitados (STAN). A doação foi resultado de uma ação da Fundação Municipal de Saúde de Tubarão, por meio do grupo de atividades físicas do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf), com a Fundação Municipal de Desenvolvimento Social.

Parcerias
O governador eleito Carlos Moisés da Silva e a vice-governadora Daniela Reinehr estiveram reunidos nesta semana com representantes de órgãos de controle. O primeiro encontro foi com o presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Luiz Eduardo Cherem, e com conselheiros do órgão. Na reunião, Moisés afirmou que o TCE será um parceiro de seu governo para aconselhar e melhor gerir os recursos públicos, sobretudo na área preventiva. Moisés e Daniela foram também ao Ministério Público de Contas (MPC), onde se reuniram com a procuradora-geral Cibelly Farias e outros dois procuradores. A visita de cortesia foi a primeira de um governador eleito ao órgão.

Na agricultura
O governador eleito ainda não confirmou nenhum secretário, mas já é dado como certo nos bastidores que a vice Daniela Reinehr ficará mesmo à frente da Agricultura. Só falta o anúncio oficial.

A casa da Mãe Joana
Como já era esperado, a Câmara de Vereadores de Capivari de Baixo aprovou em segunda votação o aumento do repasse do duodécimo de 4,6% para 7% em 2019. O prefeito Nivaldo Souza prometeu vetar a decisão. Além de ir contra os anseios da população, o aumento demonstra uma clara falta de sintonia entre Legislativo e Executivo, que parecem estar longe de um entendimento por falta de diálogo e boa vontade de ambos os lados. Não é à toa que operações realizadas na cidade foram denominadas de “A Casa da Mãe Joana”.