Política

MILTON ALVES




Terça-feira, 13/08/2019, às 06:00

As falsas lideranças

Eleitor tubaronense, e, em regra geral, de toda a região da Amurel, tem que se precaver para – nas eleições do ano que vem – não cair na ladainha das “falsas lideranças”. Acontece que com o advento das redes sociais (em que uma boa parcela de gente virou especialista em tudo), e com o fenômeno da onda Bolsonaro (que mostrou não ser preciso ter dinheiro para se eleger), muita gente, até de moral extremamente duvidosa, tem se escalado em páginas ditas “defensoras da comunidade” e já botando as asinhas de fora para se candidatar e buscar uma vaga de vereador no próximo pleito.

Contra a estrada
Aqui em Tubarão, por exemplo, e eu já adianto que não citarei o nome ou a localidade que possa identificá-la, tem alguém que por mais de dois anos torpedeou o WhatsApp da Rádio Cidade com críticas e mais críticas à atual administração pelo estado precário da estrada que corta sua comunidade. Até o bloqueio da estrada foi cogitado para forçar o prefeito a fazer alguma coisa. E parece que deu resultado, pois no recente lançamento do Proinfa, um pacote de obras de infraestrutura financiadas pelo Fonplata, Finisa e BRDE, lá figurava a dita rodovia como ganhadora futura de obras de infraestrutura e pavimentação asfáltica.

A verdade se revelando
Nem preciso dizer qual foi minha surpresa quando, ao visitar a página pessoal da dita pessoa – até para lhe felicitar pela conquista, me deparei com seu engajamento em um movimento promovido por outros desafetos, bombardeando os gestores públicos pela política de contratação de financiamentos para executar o pacote de obras. Ou seja: para essa “maravilhosa” liderança, os demais moradores da comunidade e a estrada que se explodam. O bom mesmo é que fique assim para que ela tenha um discurso e saia vitoriosa nas urnas. Típica ação de gente suja, medíocre mesmo. Em tempo: na hora certa, se preciso for, darei nomes aos bois.

Fechada aos caminhões 
O seminário “As perspectivas do turismo para 2019/2020”, que aconteceu ontem na Assembleia Legislativa em Florianópolis, levantou questões bastante interessantes, pra não dizer polêmicas, visando ao melhor fluxo de veículos em nossas rodovias na próxima temporada de verão, objetivando incentivar um melhor aproveitamento da indústria do turismo. A própria presidente da Santur, Flávia Didomênico, confirmou que órgãos do governo estudam restringir o transporte de cargas em determinados horários durante a próxima temporada nas BRs-101, 282, 470 e 280, algo que já foi feito no passado, mas que nunca virou, de fato, política de governo. 

É preciso um rigoroso estudo
Segundo Flávia, é inadmissível que se leve nove horas de Curitiba a Balneário Camboriú, como aconteceu em várias ocasiões, principalmente nos feriadões do verão passado. Ele ponderou, todavia, que estudos aprofundados, feitos por especialistas e com a participação de representantes do setor de transportes de cargas, é que devem definir quais são os melhores horários de fechamento para que a economia não seja prejudicada, pois não se pode pensar apenas no turismo.

Calendário escolar
Outra iniciativa, visando melhorar as perspectivas de ocupação imobiliária e o faturamento do turismo na próxima temporada, já está sendo estudada. Esta diz respeito às alterações no calendário escolar. A ideia inicial é ocupar o mês de dezembro com um calendário maior, só salvaguardando a tradicional semana do Natal ao Ano Novo. Isso permitiria que os meses de janeiro e fevereiro ficassem integralmente para as férias escolares, como acontecia décadas atrás.

Escolha das famílias
A definição de qual mês sair de férias ficaria por conta de cada família, sendo que as que dispõem de casas de veraneio poderiam, até mesmo, aproveitar todo o tempo, ocupando os serviços oferecidos pelas cidades turísticas e balneários espalhados por nosso litoral. Isso, porém, também carece de estudos, pondera Flávia. “A flexibilização do calendário escolar interfere em diversas políticas públicas, escolas, professores, alunos, famílias. Estamos finalizando os estudos para definirmos os melhores períodos”, informou a presidente da Santur.