Geral

ARILTON BARREIROS




Segunda-feira, 11/03/2019, às 06:00

Geração nem-nem

O leitor, com certeza, já ouviu a expressão geração nem-nem. É um termo usado para designar uma geração de jovens que nem trabalham e nem estudam. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), este grupo corresponde a cerca de 23% do total de jovens do país, ou seja, dos 48,5 milhões de pessoas entre 15 e 29 anos, aproximadamente 11 milhões não trabalham e não estudam. A falta de infraestrutura e de políticas públicas impacta diretamente na vida destes jovens, gerando um desinteresse pelo mundo do trabalho e do estudo. Nos bairros onde há carência de escolas, hospitais e espaços de lazer, além da exposição de jovens à violência e ao pouco vínculo afetivo familiar, existe um percentual enorme de evasão escolar, e, em consequência disso, menor oportunidade no mercado de trabalho. A sociedade e os prefeitos precisam estar atentos ao fato e buscar ações para resolver o problema.


Entrelinhas

Ficou para amanhã o recurso ordinário interposto pelo ex-deputado federal João Rodrigues a respeito do registro de sua candidatura na eleição de outubro passado. A sessão do Tribunal Superior Eleitoral está marcada para começar às 19h, e a expectativa em torno do assunto é bastante grande.

Após retornar de suas férias, a jornalista Chirle Ponciano, que prestava serviços ao Hospital Nossa Senhora da Conceição, na qualidade de coordenadora de comunicação há quase 17 anos, foi comunicada de seu desligamento do quadro porque a direção pretende contratar uma pessoa com outro perfil. Nas redes sociais, Chirle agradeceu a todos pela parceria.

Faleceu no sábado e foi sepultado ontem o ex-vereador e funcionário público aposentado Edson Ferreira, popular Bode, aos 63 anos, vitimado por um infarto. Edson foi candidato em 1992 pelo então PDS, ficando na suplência. Em 1996, foi candidato do PFL, e, mesmo suplente, assumiu uma cadeira no Legislativo tubaronense.

Ex-deputado Gelson Merisio deve deixar mesmo o PSD e se filiar ao PRB para ser candidato a governador daqui a quatro anos. Por outro lado, o ex-governador Raimundo Colombo tem tudo acertado para comandar o PSD no Estado, com as bênçãos do presidente da sigla Gilberto Kassab e de lideranças do partido em Santa Catarina.

Em reunião do PSL estadual, comandada por Lucas Esmeraldino na última sexta-feira, ficou definido que o deputado federal coronel Armando e o deputado estadual Carlos Lima ficarão responsáveis pelo destino do partido em Joinville. As arestas foram aparadas, e na queda de braço o coronel Armando levou a melhor.

Governador Carlos Moisés esteve reunido na sexta-feira passada com o presidente da assembleia, Júlio Garcia. Tratou de vários assuntos e convidou o deputado para acompanhá-lo na visita que fará hoje a Tubarão e Criciúma. O governador, várias vezes, foi aconselhado a se aproximar do presidente da assembleia. Parece que seguiu os conselhos.