MENU

COLUNISTAS


Esporte

EDUARDO VENTURA




 
 

Quarta-feira, 05/06/2019, às 06:00

Taça Francisco de Souza Neto

Após adiar o início da competição por causa da chuva das últimas semanas, a bola vai começar a rolar em Pescaria Brava. Neste sábado, às 15h, no Km 37, o Juventude recebe o atual campeão, o Colorado, da Pontinha das Laranjeiras. No domingo, mais dois jogos completam a rodada. No Taquaruçu, às 10h30, o União recebe a Associação Master, e em Barreiros, às 15h, o Água Verde estreia contra o Unidos de Laranjeiras.

ELE ESTÁ DE VOLTA
Tubarão e região estão recebendo mais uma vez o Mega Desafio Fênix de Yoyo. O campeão Allan Vierne já está percorrendo as escolas mostrando toda sua habilidade e ensinando quem quiser aprender a jogar yoyo. Um dos pontos de encontro é o Farol Shopping, todo sábado, às 17h. Não paga nada pra participar e, se levar o yoyo, ele ensina a jogar na hora.

GRUPOS E FóRMULA DE DISPUTA 
Os clubes resolveram dividir os nove clubes em três clubes cada: Grupo A – União, Associação Master e Show do Esporte; Grupo B – Água Verde, Unidos Laranjeiras e Botafogo; Grupo C – Colorado, Juventude e Ipiranga. Os clubes se enfrentarão em turno e returno dentro dos grupos, classificando-se o primeiro de cada grupo, e mais o melhor segundo colocado na classificação geral. Nas semifinais e final, os times se enfrentarão em jogos únicos.

TROCA DE TREINADORES
Por mais ruim que tenha sido a temporada do Tubarão, o Tubarão se safou do pior, de um rebaixamento à Série B do Catarinense. A recente eliminação na Série D só finaliza um trabalho que não deu certo na temporada. Foram cinco treinadores em pouco mais de dez meses, quatro competições. Uma eliminação na primeira fase em casa contra o Brasil de Pelotas. Claro que Beto Almeida pegou um rabo de foguete, mas não fez feio. O quase rebaixamento do clube na Série A, ficando o maior tempo na zona do rebaixamento, deixou um lastro de que muita coisa tem que mudar no Tubarão.

PENSAMENTO DESVARAIDO
O torcedor comenta conosco e lamenta a falta de vontade de alguns jogadores, a falta de qualidade no elenco montado por Júlio Rondinelli, e por aí o repertório vai longe. Achar culpados, não existe. Penso que houve um distanciamento do presidente Luiz Henrique Martins Ribeiro junto à imprensa. A sua presença na mídia sempre deu respaldo e confiança ao grupo de trabalho. A saída do Jr. Chavere até hoje não foi oficializada. Sei que, para o homem forte do Tubarão, o futebol é business, mas aquele torcedor torradinha, que muitas vezes é impedido de assistir aos treinamentos, não entende, e fica lá na porta querendo saber quem vai jogar, e por que o fulano ou beltrano não fica.

FALTOU BRANDURA 
Confesso que faltou um pouco mais de carinho com esse torcedor, faltou respeitar aqueles que se associaram no início da temporada. O ciclo encerra no domingo, jogando contra o Cianorte, e, depois, o pensamento retorna daqui 45 dias para a Copa SC e a temporada 2020. Espero que haja mudança em algumas atitudes e mais afeto ao surrado torcedor, que não mede esforços para estar presente nos treinamentos e jogos na Vila. Com a vinda da nova temporada, haverá novos pensamentos para a busca da confiança com o torcedor.




OUTRAS COLUNAS









MAIS LIDAS










Avenida Marcolino Martins Cabral, 1315, 6º piso Praça Shopping
Centro - Tubarão/SC - CEP 88701-105 - 48. 3631-5000
Todos os direitos reservados - JORNAL DIÁRIO DO SUL