MENU

COLUNISTAS


Geral

ARILTON BARREIROS




 
 

Quarta-feira, 22/05/2019, às 06:00

Posse de armas

Mesmo que tenha sido uma das promessas de campanha do presidente Jair Bolsonaro (PSL) o combate à violência desenfreada que existe no Brasil e o enfrentamento da bandidagem, liberar a posse de armas, por si só, não fará do Brasil um lugar mais seguro. Talvez, até ajude em situações específicas de legítima defesa. É preciso deixar claro que a posse de armas de fogo não pode e nem deve representar uma licença para matar. O medo de alguns críticos da medida, mesmo não sendo ela ampla no sentido de porte para andar armado, é que armas sendo liberadas, como está no imaginário popular, poderão servir para mortes sob pretextos menores, como discussão entre vizinhos ou confusões no trânsito, como exemplos. Ampliar a posse de armas não é a medida ideal para diminuir a insegurança que reina no país. Precisamos é de leis mais duras, com penas pesadas e prisões que não sejam apenas depósitos de gente.


Entrelinhas

A situação dos botos pescadores será tema de audiência pública amanhã, em Laguna. A proposta do encontro, a ser realizado no Plenário da Câmara de Vereadores, às 19h, foi aprovada em reunião no mês de março, na Comissão de Aquicultura e Pesca da Assembléia Legislativa. Devem marcar presença especialistas, autoridades e pescadores.

Os bancos brasileiros lucraram R$ 98,5 bilhões no ano passado, um aumento de 17,4% em relação a 2017. É o maior lucro dos bancos desde o Plano Real, em 1994, segundo o Banco Central. O resultado mostra que os ganhos dos bancos continuaram crescendo em ritmo acelerado, mesmo com a lenta recuperação da economia.

Os vinhos de Santa Catarina que têm excelente qualidade estão perdendo a competitividade pela alta carga tributária. Os consumidores pagam 54,73 % de impostos na compra dos nossos vinhos, enquanto os vinhos importados pagam 27%. O projeto do ex-deputado Edinho Bez para acabar com esta disparidade está parado na Câmara Federal.

As vendas do Dia das Mães no comércio catarinense, no dia 12 último, tiveram resultado positivo, mas ainda discreto. Um levantamento realizado pela Federação das CDLs do Estado apontou alta de 1,82% no comparativo com a mesma data do ano passado, quando houve crescimento de 5,06% nas vendas. O tíquete médio apurado ficou em R$ 163,62, levemente acima dos R$ 158 registrados em 2018.

Vereador Dalton Marcon apresentou na segunda-feira, na Câmara, um projeto de lei concedendo o tempo de 15 minutos de tolerância na Área Azul do estacionamento rotativo. O projeto foi rejeitado por 10 a 5. Votaram a favor, além de Dalton, os edis Gilmar Negro Machado, Carlos Alexandre Neves, Douglas Antunes e Evaldo Socadinho.

Presidente do Sindicato das Empresas de Logística e Transporte de Cargas da Região da Amurel (Setram), empresário Beto Lima, viajou ontem para Brasília, onde participará, até o dia 24, do XI Congresso Técnico ComJovem e XIX Seminário do TRC (Transporte Rodoviário de Cargas), tendo por local o auditório da ANTT.




OUTRAS COLUNAS









MAIS LIDAS










Avenida Marcolino Martins Cabral, 1315, 6º piso Praça Shopping
Centro - Tubarão/SC - CEP 88701-105 - 48. 3631-5000
Todos os direitos reservados - JORNAL DIÁRIO DO SUL