MENU

COLUNISTAS


Etiqueta

ESTELA MAURA




 
 

Segunda-feira, 03/06/2019, às 06:00

Vai viajar para os Estados Unidos?

Hoje, as dicas vão para quem pretende viajar para os Estados Unidos e não quer cometer tantas gafes. Além das regras universais de etiqueta, é sempre bom deixar claro que cada povo tem seus costumes e normas de boas maneiras, e só permanecendo por um período maior em um local é que se pode assimilar tais costumes. Entretanto, algumas situações básicas podem ser evitadas. Por isso, investir em um comportamento integral vale muito a pena!
Na hora dos cumprimentos, o brasileiro está acostumado com abraços, e até beijos, enquanto os americanos preferem um aperto de mão, sem muita proximidade. Da mesma maneira, não é educado ficar perto demais de pessoas em uma fila ou em um outro ambiente qualquer. Inclusive, no Brasil, a proximidade física excessiva ou o toque sem permissão é algo invasivo. Uma atitude que deixa os americanos irritados é o ato de caminhar durante um passeio turístico e parar, de repente, em uma calçada para tirar uma foto, impedindo o fluxo de pedestres e provocando algum tipo de esbarrão entre pessoas. Nesta situação, melhor escolher um cantinho ou um espaço neutro, dar uma paradinha gradativa e registar o momento sem incomodar os demais.
Pontualidade também é um item importante para os americanos, que não têm muita flexibilidade para atrasos ou com as comuns desculpas esfarrapadas de brasileiros. Atrasar é deselegante, assim como falar alto ou assumir trejeitos exagerados ou chamativos.
Quem tem a intenção de visitar um outro país deve se preocupar com algumas expressões idiomáticas básicas, para não fazer feio durante a viagem, pois certas frases ou palavras mal colocadas podem ser interpretadas como grosseria ou ofensa. Também, em inglês, este cuidado é necessário.
Em um restaurante, por exemplo, é fundamental entender se não há uma fila a ser respeitada ou um aviso sobre a necessidade da espera do recepcionista para conduzir o cliente à mesa. Durante a refeição, é extremamente indelicado chamar o garçom com “psiu”, gritar ou estalar os dedos. Estes profissionais estarão atentos ao cliente, e basta uma menção para um atendimento efetivo. 
Com o pedido da conta, são apresentados o valor do que foi consumido e a taxa de impostos. A gorjeta costuma ser uma porcentagem do valor gasto, e deve ser paga à parte. Quando o cliente se recusa a dar gorjeta, demonstra-se rude ou insatisfeito com o serviço prestado. Alguns outros serviços também esperam por gorjeta, como taxistas, funcionários de salão de beleza ou de hotel. Só no caso de locais com autoatendimento é que a gorjeta pode ser dispensada.
É prudente familiarizar-se com a língua inglesa, buscar diversas informações sobre costumes locais, desenvolver uma boa comunicação pessoal e um comportamento integral adequado. Estas atitudes só promovem boas conexões durante uma viagem ao exterior.




OUTRAS COLUNAS









MAIS LIDAS










Avenida Marcolino Martins Cabral, 1315, 6º piso Praça Shopping
Centro - Tubarão/SC - CEP 88701-105 - 48. 3631-5000
Todos os direitos reservados - JORNAL DIÁRIO DO SUL