MENU

COLUNISTAS


Variedades

RENATA DAL-BÓ




 
 

Quarta-feira, 17/04/2019, às 06:00

Leia para uma criança e transforme

Toda criança adora ouvir histórias. E pode ser a mesma, várias e várias vezes. Quem tem filhos sabe do que estou falando. Quando ouve uma história, a criança se sente livre para soltar a imaginação, viajar, conhecer, sonhar, aprender.

No último dia 2 de abril foi comemorado o Dia Internacional do Livro Infantil. A data foi escolhida por ser o dia do nascimento do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen, em 1805. Andersen foi o primeiro autor a adaptar fábulas existentes para a linguagem infantil, criando livros para serem lidos por e para as crianças. As versões mais famosas de clássicos como “O patinho feio” e “A pequena sereia” são de sua autoria.

No Brasil, o Dia Nacional do Livro Infantil é comemorado em 18 de abril, em homenagem a Monteiro Lobato, um dos maiores escritores brasileiros da literatura infantojuvenil. Sua primeira história infantil, “A menina do narizinho arrebitado”, foi publicada em 1920, e o sucesso do livro fez com que outros tantos surgissem, imortalizando as personagens Dona Benta, Pedrinho, Narizinho, Tia Nastácia, Emília e o Visconde de Sabugosa. Ai, que saudades do Sítio do Picapau Amarelo! Eu era apaixonada pelo Pedrinho, queria ser igual a Narizinho, ter uma boneca falante como a Emília, uma avó que morasse num sítio e contasse história como a Dona Benta, e uma tia que fizesse quitutes maravilhosos como Tia Nastácia. O legal é que essa história encanta várias gerações há quase um século.

Você quer ajudar a mudar as pessoas e, consequentemente, o mundo? Então, conte histórias para uma criança. As histórias ajudam a desenvolver o raciocínio, o vocabulário e a imaginação. Assim como outras brincadeiras e atividades lúdicas, o momento da leitura pode acontecer de um jeito muito divertido. Além do mais, é uma ótima oportunidade para criar um vínculo afetivo ainda maior entre pais e filhos, ou entre professores e alunos.

Dentro de cada um de nós habita uma criança, aquela que foi construída nos primeiros anos de vida. Segundo especialistas, a primeira infância é a que fica, e ela fica para a vida toda. Os estímulos para a leitura podem começar até mesmo antes de o bebê nascer.

Quando lemos para uma criança, não lemos apenas palavras, lemos imagens, situações, textos e contextos. Através das histórias, inserimos a criança no mundo em que vivemos: contamos a ela sobre quem somos, o que fazemos, o que gostamos e não gostamos, o que sentimos. Através das histórias, a criança descobre seu próprio mundo, e é calorosamente acolhida num universo de culturas e linguagem, e assim ela vai aprendendo sobre quem ela é, sobre a sua família, sobre o lugar onde vive e, desta forma, vai construindo a sua identidade.

Como escreveu o poeta gaúcho Mário Quintana: “Os livros não mudam o mundo, quem muda o mundo são as pessoas. Os livros só mudam as pessoas”.




OUTRAS COLUNAS









MAIS LIDAS










Avenida Marcolino Martins Cabral, 1315, 6º piso Praça Shopping
Centro - Tubarão/SC - CEP 88701-105 - 48. 3631-5000
Todos os direitos reservados - JORNAL DIÁRIO DO SUL