MENU

COLUNISTAS


Geral

PEDRO HERMÍNIO




 
 

Quarta-feira, 10/04/2019, às 00:00

Benefícios fiscais: uma nova visão

A insistência, sem os devidos esclarecimentos, nem sempre é aceita, principalmente, quando se lida com segmento calejado e cheio de artimanhas como no Parlamento. Nesse jogo de poder, vence quem tem maioria, e é o que o Executivo, se não percebeu, aposta na boa fé. Nos quase 100 dias de gestão, já deu para notar por onde pendem os interesses. O período de lua de mel está passando e as picuinhas do dia a dia começam aparecer. Por mais que se pretenda demonstrar poderio, há que se ter maturidade e sabedoria para, no momento oportuno, recuar e/ou avançar. Como no dito popular: um passo atrás, para depois dois à frente.

Recuperando-se do inferno astral o governo tenta corrigir erro cometido no passado recente. Foi o que se apresentou na nova proposta dos benefícios fiscais. Talvez a mais impactante fora a retirada da cesta básica agora devidamente restituída. Por outro lado, é importante diferenciar carne de pescoço de filé mignon.

Pois bem. Sentindo-se prejudicada, a classe empresarial tomou a iniciativa de discutir um novo modelo de política industrial para Santa Catarina. O objetivo é reduzir custo de produção e melhorar a competitividade da economia local. 

Romaria à Fazenda

Uma das maiores virtudes do homem é reconhecer que dos erros é que surgem os acertos. Basta mirar nas mais de mil tentativas de Thomaz Edson, estampada na frase a ele atribuía: “Eu aprendi muito mais com os meus erros do que os meus acertos.” O feito culminou na descoberta da lâmpada, propiciando que os trabalhos fossem desenvolvidos, ininterruptamente, de dia e de noite. Nas últimas semanas, a Secretaria da Fazenda está recepcionando os diversos segmentos da economia, dialogando, ouvindo e apresentando as contrapropostas. Em suma, uma nova visão sobre os benefícios fiscais.

Controle dos gastos
Enquanto o lado da receita está correspondendo, o governo não se esquece do controle dos gastos. Os futuros detentores da pasta da Controladoria discutiram recentemente a avaliação de suscetibilidade ao risco de fraude e corrupção em órgãos públicos.

Cenário promissor
Com a arrecadação demonstrando boas perspectivas de crescimento, manter os pés no chão é equação básica. Que pense bem antes de qualquer concessão visando maior retorno para aplicação nas áreas essenciais; educação, saúde e segurança.

DICAS DE PORTUGUÊS
“Houve” e “Ouve”
São exemplos de palavras homófonas, ou seja, palavras que se pronunciam da mesma forma, contudo têm grafia e significado diferentes.  “Houve” faz parte da conjugação do verbo “haver”; enquanto que “ouve” se refere ao verbo “ouvir”. Obs.: o verbo “haver”, no sentido de “existir”, fica na terceira pessoa do singular. Na dúvida substitua um pelo outro! Fonte SEF/ESAT/PR.

REFLETINDO
“Nunca, jamais desanimeis, ainda que venham ventos contrários”, Santa Paulina. Uma boa semana!




OUTRAS COLUNAS









MAIS LIDAS










Avenida Marcolino Martins Cabral, 1315, 6º piso Praça Shopping
Centro - Tubarão/SC - CEP 88701-105 - 48. 3631-5000
Todos os direitos reservados - JORNAL DIÁRIO DO SUL